Pitada de sal

O sódio é um dos elementos fundamentais para a existência da vida, pois desempenha importante papel na fisiologia dos seres vivos. É um macromineral indispensável para o metabolismo celular e é corresponsável pela boa atuação de nossas sinapses nervosas. Do sal nasceu a vida!

O gosto a matéria salgada nasce em nosso centro primitivo cerebral,  pois nele fica o registro genético para reconhecermos sabores em nosso paladar. Esse trabalho é iniciado por meio de algumas especializações (neurotransmissores) situados na superfície do tecido de nossa língua. São estruturas papilares que agem com receptores primários, que captam as informações impressas no alimento e nos dá as sensações de gosto direto em nossos centros de prazer e é por isso que um bom tempero nos traz tanta felicidade.

Historicamente o uso do sal remonta ao Neolítico, período no qual a sazonalidade do alimento exigia métodos de preservação para garantir sua durabilidade e assim alimentar o povo mesmo nos momentos de sua escassez. Possivelmente a China foi a primeira civilização a extrair o sal marítimo, seguida pelo Egito. Já nas sociedades primitivas da Europa, a extração do sal de rocha (antigos mares) se deu ainda na idade do bronze utilizando-se de ferramentas de metal. Os primeiros povoados a extrair o sal da rocha ficavam na região de Hallstatt (Áustria).

A portabilidade de alguns gêneros alimentícios só foi possível quando compreendida a tecnologia da salga e na medida que estas práticas de conservação se difundiam pela civilização, o gosto a matéria salgada ganhava suma importância, se integrando no aspecto cultural de algumas sociedades. A exemplo, o termo “salário” que se referia a parte do soldo, já que o sal na antiga Roma era tão valioso que servia como remuneração aos soldados, tanto para seu uso pessoal quanto como moeda de troca por outros bens de consumo e serviços. Não é à toa que importantes Minas como Maldon e Camargue foram fundadas pelos Romanos e de Roma para o mundo.

O sal além de realçar o sabor, estimula o apetite, conserva os alimentos, acrescenta textura aos preparos e, como já dissemos, é vital para o bom funcionamento do nosso corpo, já que está presente até em nossos fluídos: sangue, suor e lágrimas, entretanto, a palavra de ordem é a moderação, uma vez que consumido em excesso, como todos sabem, pode trazer malefícios severos à  saúde.

Saber usar o sal a favor da vida é um dos segredos da boa saúde e longevidade e saber se utilizar de suas qualidades conservantes, bem como de tempero e “toque especial” é uma competência valiosa. Salve o sal!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: